Ano II - Nº 10, Novembro/Dezembro de 2007
Alameda Digital
Restauração revisitada, por Mário Casa-Nova Martins
Acabemos de vez com este tradicionalismo
[por Rafael Castela Santos]

La misma esencia de la Iglesia reclama que no haya solución de continuidad entre Jesucristo, Nuestro Señor y Salvador, y nuestros días. Así pues aquellos que se autodenominan “cristianos”, pero que rompieron esa continuidad, no pueden ser parte de la Iglesia. Ni luteranos, ni calvinistas, ni metodistas ni cualesquiera sectas protestantes son partes de la Iglesia, por más que ellos reclamen serlo. (...) LER TUDO

A ofensiva anti-tradição
[por Bernardo Calheirosl]

Nas últimas décadas o mundo tem assistido a mudanças vertiginosas, que se sucedem a um ritmo nunca visto e que afectam profundamente a forma como vivemos e a maneira como nos encaramos a nós próprios. Essas mudanças trouxeram-nos, em muitos casos, mais comodidade, mais segurança e mais tempo de vida. Contudo, será que nos trouxeram um aumento proporcional de felicidade? (...) LER TUDO

Acabemos de vez com este tradicionalismo
[por Manuel Azinhal]

Surge-nos frequentemente um tradicionalismo que revela uma curiosa similitude com o progressismo, a que constitui uma espécie de contraponto simétrico. Reproduz no entanto o mesmo esquema mental na visão da história e das sociedades humanas, invertendo os termos valorativos. Para uns o bom está no fim, para outros estava no princípio. (...) LER TUDO

Algumas consequências da modernidade: por que razão já não há «interacção homem-máquina», nem «casais com filhos»
[por José Maria C. S. André]

Antigamente, a disciplina que estuda as interfaces dos computadores, no curso de Informática do Técnico, chamava-se «interacção homem-máquina». Com a modernidade, teve de ser substituída pelo estudo da «interacção pessoa-máquina».
Antigamente, a expressão «casal com filhos» incluía rapazes e raparigas. (...) LER TUDO

Não ser do mundo
[por Simão dos Reis Agostinho]

“Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. Eles não são do mundo, como Eu não sou do mundo” (Oração Sacerdotal – Jo 17, 15-16)
Não é novidade para ninguém minimamente atento, consciente da História e da Tradição eclesiais, que as palavras de Cristo não ecoam mais na Igreja dita modernista. Uma Igreja conciliar, de revolução e ruptura com as verdades teológicas fundamentais que durante séculos inteleccionámos no casamento da Fé e da Razão e experimentámos, (...) LER TUDO

Tradição e Modernidade
[por Isabel de Almeida e Brito]

Tradição e modernidade são como dois propulsores para a nossa consciência de protagonistas adultos. A uma pessoa adulta, a vida grita por um contributo pessoal: filhos a crescerem, pais a envelhecerem, responsabilidades profissionais agudas… Multiplicam-se as ocasiões em que a nossa inteligência e experiência, a nossa energia e criatividade são convocadas, não já para mero desenvolvimento da nossa personalidade, mas para o serviço dos outros, para o bem de todos. (...) LER TUDO

A Modernidade e os seus Críticos
[por Carlos Bobone]

A modernidade, conceito ambicioso, de vocação majestática, não nasceu para sofrer críticas. O seu carácter, segundo os que o conhecem de perto, não é o de um simples movimento de ideias em torno do qual se possam formar correntes opostas de pensamento, apresentar reservas ou objecções, confrontar argumentos favoráveis ou desfavoráveis. Os propagandistas da modernidade, aqueles que gostam de a invocar e de se pôr sob a sua tutela, (...) LER TUDO

Tradição e Tradições – Conservar ou Fundamentar?
[por Jorge Azevedo Correia]

No Livro I da República de Platão, Sócrates confronta a perspectiva tradicional de Justiça, defendida pelo ancião Céfalo, em que este último defende uma moral fundada num conjunto de pressupostos que fazem parte da sua cultura e que se consubstanciam em práticas de legalidade e de defesa da sociedade (dizer a verdade, pagar as dívidas). Se Céfalo defende uma compreensão cultural que protege a sociedade, (...) LER TUDO

Sobre a obra de Pitirim Sorokin
[por James Thornton - tradução de Manuel Azinhal]

O filósofo tradicionalista, sociólogo e historiador Pitirim Alexandrovitch Sorokin nasceu no norte da Rússia, três decénios antes do eclodir da revolução bolchevique. Estudou principalmente na Universidade de São Petersburgo, onde recebeu o título de doutor em sociologia em 1922. Enquanto os acontecimentos da revolução viviam o seu apogeu, e durante a guerra civil que se seguiu, opôs-se aos comunistas e envolveu-se em diversas actividades contra-revolucionárias, o que conduziu (...) LER TUDO

Tradición y modernismo en la Iglesia
A ofensiva anti-tradição
Acabemos de vez com este tradicionalismo
Algumas consequências da modernidade: por que razão já não há «interacção homem-máquina», nem «casais com filhos»
Não ser do mundo
Tradição e Modernidade
A Modernidade e os seus Críticos
Tradição e Tradições – Conservar ou Fundamentar?
Sobre a obra de Pitirim Sorokin

Dalai Lama em Portugal
Confusão surpreedente e homologação inaceitável……
“Foi Assim” por Zita Seabra - Comentário
O Bispo Januário deu uma entrevista

A síndroma da ofensiva de Tet na segunda guerra do Iraque
LAG 08
Lixado Pá!
União Europeia - Tratado de Lisboa
Cimeira UE/China
E depois da Globalização?

Suspense
José Antonio, Entre Ódio e Amor
Crónica da Falange de Madrid
Requiem por José Antonio Primo de rivera
Uma mensagem enxertada na história?
Quem é Cottinelli Telmo?
Publicação: Ao Gosto do Gosto

O ataque à igreja
Olivença Espezinhada
A Restauração revisitada
Sombras da História
O Massacre dos Inocentes

Editorial
Ecos da blogosfera
Capa

Nacional Internacional Cultura História Tradição e Modernidade Ficha Técnica Publicidade Contactos Apoie-nos