Ano I - Nº 2, Outubro de 2006
Alameda Digital
Coreia do Norte
TEMA DE FUNDO
A Liberdade de Expressão

Tida habitualmente como intocável, regimes de índole diversa tocam-lhe com mais frequência do que seria desejável. Na Europa, tendemos a considerar a liberdade de expressão como património central da Civilização Ocidental, uma espécie de matéria indiscutível ao mesmo tempo que se cria, em nome de uma moda dominante, um conjunto de normas que cada vez mais a limita. Teremos assim instituída uma via de pensamento único que facilmente se impõe face a sociedades totalmente desabituadas de pensar e que banalizam a informação repetitiva que se lhes oferece. No conjunto, tudo se conjuga para que, quanto a emitir posições contra-corrente, vivamos tempos mais difíceis do que à primeira vista poderia parecer e nos garantem; uma época em que diariamente nos chegam relatos de pessoas que têm problemas sérios por persistirem em dizer de sua justiça. E tudo isto sem termos que sair da tal Civilização Ocidental. LER TUDO

Apoie a Alameda Digital,  Espaço de Liberdade
Correspondentes

[Grã-Bretanha]

Crónicas de um lusitano interior na Álbion
por Rafael Castela Santos

[Buenos Aires]

A liberdade de imprensa
por Marcos Pinho de Escobar

Livros Perdidos no Tenpo
Sétima Arte

A Causa da Coisa
por João Marchante

Ecos da Blogosfera
Consulte as edições anteriores
Leia em primeira mão!
Deseja ser avisado da publicação de um novo número da Alameda Digital por e-mail? Diga-nos qual é a sua conta:

Salazar e os outros

A polémica suscitada por um programa de televisão recentemente lançado chegou a extremos tais que pode dizer-se sem exagerar que os seus responsáveis nos colocaram perante uma visão da História de Portugal e dos seus protagonistas que poderia expressar-se na síntese “Salazar e os outros”. (...) LER TUDO

O aborto é fixe, o puto que se lixe

Sempre que alguém se manifesta pelo primado da Vida contra a banalização do aborto, um bem orquestrado coro de vozes, vem sistematicamente encher-nos os ouvidos com a palavra hipocrisia. A sua arrogância petulante tolda-lhes a lucidez e impede que se revejam no espelho da Razão. Que epítetos devemos atribuir aos que com descaramento inaudito, auto - intitulados defensores dos pobres e oprimidos (...) LER TUDO

Congressos do Partido Nacionalista

Começou da pior maneira o primeiro ano do século XX para a Igreja e os católicos portugueses. A 17 de Fevereiro, no Porto, tem início o incidente que ficou conhecido como o “Caso Calmon”, e que envolvia a filha do então cônsul brasileiro naquela cidade e aquela família, a qual recusava a sua entrada numa casa religiosa. Este caso rapidamente tomou foros de guerra ideológica, (...) LER TUDO

Progresso Primitivo

A Câmara Municipal de Lisboa prepara um plano de reconstrução dos Bairros da Boavista e Padre Cruz. O plano prevê a demolição completa de todas as edificações lá existentes e o nascimento, em seu lugar, de lotes de apartamentos que poderão chegar aos seis andares. Estes bairros, considerados degradados, (...) LER TUDO

Um documento histórico: "A Minha Prisão"

O Governo da Aliança Democrática, do qual não gosto e no qual não confio, não tem responsabilidades na minha prisão. Essa decisão judicial - e não é bom que tentemos levar o Executivo a intervir no Judicial -  forçando-o ou por via administrativa ou por motivos políticos. Não estando em jogo a razão do estado, jogam-se no meu caso princípios fundamentais, muito mais importantes do que a minha liberdade física. É com certeza discutível a sentença do dr. Sepúlveda Serra, meretíssimo Juiz do 3º. Juízo Correcional que me mandou enjaular. (...) LER TUDO

Totalitarismo: o Antigo e o Novo

Vivemos num tempo de slogans e palavras de ordem, num tempo de emocionalismos exacerbados e sensações à solta. O nihilismo de mensagem forte, de pistola em punho e bomba escondida debaixo do colchão, é hoje uma longínqua memória do século XX, tendo sido substituído por uma pieguice emocional sem qualquer tipo de fundamentação ou razão última. O momento é “pós-moderno” (...) LER TUDO

Editorial

A liberdade de expressão encontra-se glorificada nos credos ostensivos da maior parte dos governos existentes à face da terra. Por esse lado pode dizer-se que alcançou um confortante predomínio. Mas por outro, não é difícil reconhecer que a sua elevação aos altares da vida política, obrigando os censores a contorná-la, lançou os poderes públicos na senda de novas e imaginativas formas de abafarem as vozes que lhes desagradam. Nos regimes que fazem da liberdade o seu estandarte encontraram-se alguns dos mais singulares subterfúgios para o silenciamento da palavra alheia.

Uma das primeiras leis da república portuguesa proibiu os notários de fazerem referência, nas datas das escrituras, à Era de Cristo [...] LER TUDO

 
Entrevista - Yolanda Morín
Manuel Cardoso Ferreira
João de Castro de Mendia
João César das Neves
Eugénio Ramos
Rui G. Moura
J. Luís Andrade
Pedro Guedes da Silva
Sumário

A Guerra contra os Estereótipos
Expressão da Liberdade
Liberdade de Expressão
Liberdade, civilização e uma outra forma de terrorismo
Da liberdade de pensamento à liberdade de expressão
A Nova Inquisição
A Minha Prisão
Salazar e os outros
Vigilância Ideológica
Crescer em Democracia ou a coragem de dizer não

Entrevista com Yolanda Morín
A liberdade de Imprensa
Liberdade de expressão... para quê?

O Mal Maior
Totalitarismo: o Antigo e o Novo
O aborto é fixe, o puto que se lixe.

Coreia do Norte - o regime que incomoda os seus aliados

A Mitologia do Aquecimento Global
Progresso Primitivo

A Causa da Coisa
Obras Esquecidas de Autores Famosos

Congressos do Partido Nacionalista
Sangue que não seca… As guerras cristeras

Ficha Técnica Publicidade Contactos Apoie-nos
Nacional Internacional Sociedade Cultura História Dossier Liberdade de Expressão