Ano I - Nº 4, Dezembro de 2006
Alameda Digital
Na Defesa da Vida
A mulher e o aborto

Decorre, no presente momento, o período de campanha e reflexão sobre o próximo referendo que visa auscultar a população portuguesa sobre a despenalização do aborto quando realizado por vontade da mulher até às 10 semanas. Como cidadão, como médico e, em particular, como especialista na área da obstetrícia e ginecologia, não poderia afastar-me da discussão pública sobre o tema em questão. (...) LER TUDO

A Fé no Aborto

Nos últimos tempos fez-se um consenso sobre o Aborto. “Ninguém é a favor do Aborto” dizem-nos, como se a sanção para fazer algo ao abrigo da lei não fosse um pacto real com a prática. Sacode-se a água do capote e nada mais se tem para discutir, fazendo-se passar o “slogan” por acto de humanitarismo. (...) LER TUDO

61 razões para votar Não!

Nós, portuguesas e portugueses, somos chamados a responder, no referendo de 11 de Fevereiro de 2007, a esta pergunta: “Concorda com a despenalização da interrupção voluntária da gravidez, se realizada, por opção da mulher, nas primeiras 10 semanas, em estabelecimento de saúde legalmente autorizado?É importante que todos votemos não! Não à interrupção voluntária da vida (...) LER TUDO

A Ética na defesa da Vida

Como regra de conduta humana e factor de orientação social, a Civilização Cristã estipula amar o próximo como a si mesmo; poderemos dizer que a moral médica vai mais longe, ao impor que, em situações de dilema, o médico coloque o seu doente à frente de si próprio. Acreditamos que a Moral e o Direito naturais não variam com os ventos da História ou da Política, como não variam também os princípios básicos que devem orientar a Deontologia Médica. (...) LER TUDO

Um Acórdão Controverso

Através do Acórdão nº 617/2006, o Tribunal Constitucional, numa votação dividida e apenas pela maioria de um voto, julgou a constitucionalidade e a legalidade da questão que será colocada a referendo a realizar em Fevereiro e na qual se propõe a interrupção voluntária da gravidez realizada por opção da mulher nas primeiras 10 semanas. O Acórdão em referência merece atenção, não tanto pelo que disse, mas mais pelo que não disse na fundamentação da decisão tomada. (...) LER TUDO

O Médico e a Eutanásia

O mais grave é o iniciar do abrir das portas porque elas rapidamente ficam escancaradas: assim sucedeu com a questão do aborto, nomeadamente nos Estados Unidos, onde actualmente cerca de 98 % se praticam apenas por razões ditas de natureza psicológica.
Ao falar de eutanásia a primeira coisa que haverá definir muito claramente são os conceitos. Etimologicamente eutanásia significa morte suave, morte doce ou morte tranquila. No entanto, para o que nos interessa hoje, ela implica necessariamente a intenção expressa de antecipar a morte em relação ao que sucederia pela evolução natural das coisas. (...) LER TUDO

O que não se fala no referendo

É frequente numa discussão acabar por esquecer-se o ponto de partida.
Assim acontece notoriamente no caso do referendo que se anuncia, em que o debate geralmente se afasta do teor exacto da pergunta que é colocada à votação, e foge das consequências das respostas possíveis. Normalmente discute-se o aborto, em abstracto, no registo "eu acho que", perdendo-se a noção de que o referendo incide sobre uma pergunta em concreto, da qual deverão em princípio decorrer consequências legislativas. (...) LER TUDO

O aborto e a raiz do problema

Qualquer texto ou artigo de opinião sobre o aborto gera habitualmente no leitor, em função da sua convicção sobre o assunto, uma identificação ou uma rejeição da posição ideológica de quem escreve. De resto, já há muito tempo que este tema é debatido na sociedade portuguesa, por essa razão os argumentos de ambos os lados são bem conhecidos. (...) LER TUDO

Lá, onde a vida se joga...

É lá, onde a vida se joga que nós estamos. Diante da Irene que nos apareceu de cara assustada, tremendo de medo, confusa, baralhada, desesperada… Tinha sabido que estava grávida outra vez, havia uma semana. O companheiro perdeu a cabeça e insultou-a, acusando-a de ser a culpada por não ter tomado a pílula. A solução era só uma: «abortar e pronto! É pegar ou largar: ou despachas isso ou vai à tua vida, que eu não estou para aturar desleixadas». (...) LER TUDO

Pena de morte

Nos disputados problemas da vida, a pena de morte está actualmente entre os mais pacíficos em Portugal. Trata-se de um tema em que não há grande controvérsia, com a generalidade das opiniões a defender a sua abolição.
Esta constatação serve para mostrar como os juízos globais sobre uma sociedade devem sempre ser matizados. Muito se luta hoje entre nós em defesa do direito à vida contra agressões graves, do aborto à clonagem e à eutanásia. No entanto em outras frentes, como a guerra e a pena de morte, a nossa época assinala avanços notáveis que civilizações anteriores dificilmente igualaram. (...) LER TUDO

Reprodução Artificial - Uma lei contra o tempo

A reprodução artificial a que alguns chamam de PMA (Procriação Medicamente Assistida) é o conjunto de técnicas médicas que têm por objectivo permitir que casais inférteis possam vir a ter filhos. Essas técnicas dividem-se em extracórporeas - fecundação é feita fora do corpo da mãe, e as intracórporeas. A reprodução artificial é em geral apresentada como uma resposta boa ao problema que legitimamente traz sofrimento a muitas pessoas (infertilidade). E por isso se tem entendido que os casais devem ser ajudados pela ciência. Porém, estas técnicas levantam várias questões éticas (...) LER TUDO

Síndrome pós Aborto

Quando se fala de Síndrome Pós Aborto não chega explicar apenas os seus principais sintomas e manifestações, e por isso tentarei também esclarecer a razão pela qual o aborto voluntário provoca este tipo de perturbação. Ou seja, se há um trauma, é importante perceber porquê. Uma das formas de tornar claro todo o processo é através do recurso a exemplos e por essa razão inclui-se também uma secção com testemunhos retirados de casos verídicos. (...) LER TUDO

O Referendo do Aborto visto por uma mulher

Sou mulher e, segundo alguns, parece que devia estar contente porque querem oferecer-me o aborto livre e gratuito; dizem que é para me dar mais um direito. Mas eu estou triste. Eu não quero o direito de poder matar um filho em momento algum da sua vida, e sei que mesmo que a lei um dia o declare, preto no branco, esse direito continuará sempre a ser uma mentira: ninguém tem o direito de destruir uma vida. Dizem que isto é para me proteger da prisão. Só que há mais de 30 anos que não há nenhuma mulher na cadeia por ter abortado. (...) LER TUDO

Uma solução mais VIVA !

A minha filha Marta tem dois anos e meio. Quando tem sono e quer adormecer, põe a mão direita sobre a cara, de tal forma estendida e aberta, que a cobre da testa ao queixo, passando pelo nariz. Quando me ponho a pensar desde quando é que ela faz isto, fico sempre impressionada ao me lembrar que é desde sempre. A primeira vez que a vi nesta posição, foi na primeira ecografia, realizada perto das minhas doze semanas de gravidez. (...) LER TUDO

Aborto de A a Z

A, Agosto de 2010 – Data do próximo referendo nacional à “interrupção voluntária da gravidez”. No caso de vitória do ‘sim’ no próximo dia 11 de Fevereiro, será necessário realizar nova consulta tendo em vista a liberalização total do aborto a pedido até às 30 semanas, dando resposta aos anseios da esmagadora maioria dos portugueses; em caso contrário – vitória do ‘não’ daqui por mês e pouco – PS, PCP e BE entenderão que o aborto se mantém como prioridade máxima aos olhos dos portugueses e convocarão nova consulta para a próxima legislatura. (...) LER TUDO

A relativização da vida humana

O início deste ano na Argentina foi marcado pela celeuma que envolveu o Bispo Castrense, Monsenhor António Baseotto, e o ministro da Saúde do soixantehuitard Kirchner, Ginés González. Apologista do aborto, o responsável pela saúde dos argentinos considerou-se gravemente ofendido pelo prelado quando este, ao criticar os promotores da cultura da morte, fez referência a uma passagem do Evangelho de São Mateus, na qual Jesus afirmava que aqueles que escandalizassem os pequeninos deveriam ter uma mó atada ao pescoço e atirados ao mar. (...) LER TUDO

Um Livro por Abrir

Comprei recentemente um livro sobre Murillo, o grande pintor da Santíssima Virgem Maria. Está ali, por abrir. Olha-me a partir da prateleira ao mesmo tempo que da minha cama eu o contemplo enquanto escrevo no meu portátil. Em boa verdade ainda não tive muito tempo para o apreciar. Quando o comprei sabia já que era um bom livro. Um grande amigo e excelente bibliófilo em quem deposito toda a confiança, tinha-mo recomendado. Desde que ali o coloquei tenho reparado na sua sobrecapa branca em papel couché. Na lombada, as letras do título são delicadas. (...) LER TUDO

 
 
   
A mulher e o aborto
A Fé no Aborto
61 razões para votar Não!
A Ética na defesa da Vida
Um Acórdão Controverso
O Médico e a Eutanásia
O que não se fala no referendo
O aborto e a raiz do problema
Lá, onde a vida se joga...
Pena de morte
Reprodução Artificial - Uma lei contra o tempo
Síndrome pós Aborto
O Referendo do Aborto visto por uma mulher
Uma solução mais VIVA !
Aborto de A a Z
A relativização da vida humana
Um Livro por abrir

Avanti o popolo? Bandiera rossa trionferá

Utilidade e manipulação do Holocausto

Alegria de Viver

A chacina de Badajoz - O mito e os factos
Patuleia
Tomás Zumalacárregui: a defesa da Tradição

Madrid
Grã-Bretanha
Buenos Aires

Editorial
Ecos da blogosfera
Capa

 

Nacional Internacional Cultura História Nla Defesa da Vida Ficha Técnica Publicidade Contactos Apoie-nos