Ano I - Nº 7, Março/Abril de 2007
Alameda Digital
O Pensamento de Sardinha
TEMA DE FUNDO
Europeísmos

Após muitos debates, o projecto de um Tratado Constitucional para a Europa avançou sem que nele se tenha feito qualquer referência às raízes cristãs europeias. Ao invés, os seus promotores não observam problemas quando identificam o Velho Continente com outras variáveis que provavelmente lhe serão cultural e historicamente mais estranhas. Ora, o que é a Europa? Quem mais a marcou no que a caracteriza e lhe definiu a identidade ao longo dos séculos? Terão validade nos tempos actuais conceitos geopolíticos como o da Eurasia? Que rumo tomará a Europa, seja enquanto conceito geográfico seja como realidade política?
Assinalando-se em 2007 a passagem dos cinquenta anos sobre a assinatura do Tratado de Roma, num momento em que muitos garantem ser necessidade premente da realpolitik de Estados pequenos e periféricos como Portugal tentar impedir o progressivo fortalecimento do eixo franco-alemão, a Alameda Digital dedica às questões europeias que cada vez mais condicionam as nossas vidas, o tema central desta edição. LER TUDO

Apoie a Alameda Digital,  Espaço de Liberdade
Correspondentes

[Grã-Bretanha]

Crónicas de um lusitano interior na Álbion
por Rafael Castela Santos

[Buenos Aires]

Uma Europa Mundialista
por Marcos Pinho de Escobar

João Marchante
F. Santos
Ecos da Blogosfera
Consulte as edições anteriores
Leia em primeira mão!
Deseja ser avisado da publicação de um novo número da Alameda Digital por e-mail? Diga-nos qual é a sua conta:

TEMA DE FUNDO > "A Direita e as Direitas"
"Reis de Portugal"

Quando do anúncio pelo «Circulo de Leitores» do seu propósito editorial de publicação de uma colecção de biografias dedicadas a cada um dos Reis de Portugal (...), no meu foro íntimo levantou-se a suspeita de que ele poderia vir a constituir um belo pretexto para adorno da sala-de-visitas de muitas casa portuguesas. (...) LER TUDO

Uma epidemia de infanticídios

Uma epidemia de infanticídios tem vindo a chocar a Alemanha. Pelo menos 23 bebés foram já mortos este ano, muitos deles espancados até à morte ou estrangulados pelas mães antes de serem “despejados” em lixeiras, contentores ou abandonados em terrenos ermos. (...) LER TUDO

Eleições no Sidonismo

As eleições tiveram lugar a 28 de Abril de 1918. Com elas inicia-se um segundo período na I República, a denominada “República Nova”. O golpe de estado liderado por Sidónio Pais aconteceu a 5 de Dezembro de 1917. Sidónio preside a uma Junta Revolucionária. Para legitimar o novo regime, é decretado a 11 de Março de 1918 o sufrágio universal, e são marcadas eleições presidenciais e legislativas para o final do mês seguinte. A estas eleições apenas concorre Sidónio Pais ao cargo de Presidência da República, enquanto os três principais partidos da República, da “República Velha” (...) LER TUDO

Eurasismo : o fascínio das fantasias imperiais

Alguns leitores estarão a par da actual popularidade em certos círculos políticos e intelectuais, com expressão nomeadamente em Roma, Paris ou Berlim, para além do óbvio centro moscovita, de teorias geopolíticas que usam a denominação eurasismo. A esses não escapará a notória diferenciação desse eurasismo digamos que “ocidental” em relação ao fenómeno ideológico, geopolítico e historiográfico que esteve no princípio da designação. (...) LER TUDO

Rabos-de-palha na história do 11 de Setembro

No final do passado mês de Fevereiro, começou a circular na Internet a informação de que alguém descobrira no sítio “www.Archive.org” programas emitidos por canais de televisão durante o famigerado “ataque” às Torres Gémeas do complexo World Trade Center (WTC) em Nova Iorque, em 11 de Setembro de 2001. Um deles evidencia que a derrocada do edifício “Salomon Brothers” (também conhecido por WTC 7) foi noticiada mais de vinte minutos antes de ter ocorrido. (...) LER TUDO

Tolerar a tolerância?

A história tem sido feita da constante luta entre contrários. Talvez aqueles que se geram mutuamente e que foram brilhantemente expostos por Sócrates, já no cárcere. Certamente, não são eles que se subjugam a uma qualquer ideologia uniformizadora do passado, presente e futuro. Aliás, no campo político são as ideologias as que mais provocam o sentimento bélico do governo dos povos, levando a extremos defendidos de arma em punho, como se as ideias (...) LER TUDO

A corrupção

Uma das ameaças que mais contribui para pôr em causa a estabilidade e a coesão das sociedades é, certamente o nível de corrupção de um país, muitas vezes generalizada, engendrada ou aproveitada pela actividade do crime organizado internacional. Para além de corromperem elementos das forças anti-crime ou da administração pública de médio e baixo nível, os criminosos, (...) LER TUDO

Editorial

Os primeiros responsáveis pela desilusão foram os próprios porta-vozes do pacifismo internacionalista, tanto intelectuais de verbo inflamado como militantes do movimento operário. Assim que soaram os tambores de guerra, em 1914, correram a alistara sua pena ou a sua força de trabalho nas fileiras do mais desenfreado belicismo. Desmentiam de uma penada décadas de escrita ou de propaganda oratória, em que haviam tocado incessantemente as teclas da fraternidade universal, da união dos povos e da abolição de todas as barreiras entre os homens. Quem lê as memórias dos poucos intelectuais que se mantiveram fiéis ao pacifismo durante o conflito de 1914 / 1918 repara com alguma surpresa que o grande choque, o que mais os desorientou, não foi a violência, a crueldade ou a amplitude da destruição causada pelos exércitos em combate. [...] LER TUDO

Silvino Silvério Marques
José Valle de Figueiredo
Padre Nuno Serras Pereira
Carlos Blanco de Morais
João José Brandão Ferreira
Miguel Castelo Branco
Bruno Oliveira Santos
Abel Matos Santos
J. Luís Andrade
Pedro Guedes da Silva
Sumário

A propósito dos mergings and acquisitions meta-nacionais
Eurasismo : o fascínio das fantasias imperiais
Uma Europa Mundialista
Europa: o Império Pacífico
O “Mein Kampf” do Europeísmo
A “Constituição Europeia” em Ré menor
Um crepúsculo europeu
Tolerar a tolerância?
E que tal um referendo?
Carta a minha filha: Da Europa à Anti-Europa

A  boceta de Pandora
Quase Memórias. Almeida Santos* - Comentário ao 1.º Volume
Quase Memórias. Almeida Santos* - Comentário ao 2.º Volume
Concurso “Os Grandes Portugueses” -
O Povo não é estúpido!
A corrupção

Rabos-de-palha na história do 11 de Setembro

Referendo do Aborto, Cânone 915 e Comunhão Eucarística
Uma epidemia de infanticídios

Discurso breve sobre a obra de Vieira
António de Monforte
Todos Nós Temos Amália na Voz
"Reis de Portugal"
Reduções Intelectuais
Futuro incerto para a música clássica em Portugal
Clínica das Letras

Uma perspectiva histórica sobre as revoltas militares em Portugal
Eleições no Sidonismo
Relação militar dos Portugueses com o Império do Meio (parte II)

Ficha Técnica Publicidade Contactos Apoie-nos
Nacional Internacional Cultura História Europeísmos Sociedade